Tudo pronto para A última volta do ponteiro

Banner site 800x300Por Pedraugusto Rodrigues

Livro que em 2012 recebeu o prêmio internacional José de Alencar de Literatura, pela União Brasileira dos Escritores do Rio de Janeiro, foi adaptado para o teatro e entrará em cartaz no Recife.  A última volta do ponteiro, do escritor e jornalista recifense Adriano Portela, vai ser encenada nos dias 17, 18 e 19 de dezembro, no teatro Marco Camarotti, no Sesc  Santo Amaro, centro do Recife. O espetáculo tem direção do também pernambucano Normando Roberto Santos.

A peça conta a história de uma jovem chamada Anne, que cresce em meio aos mistérios da sua família. O enredo de A última volta do ponteiro é uma espécie de retorno, um retorno ao centro, à origem, à reintegração de um passado cheio de surpresas, de momentos reveladores. As horas se passam entre o Brasil e a Itália, entre Recife e Florença, criando um ambiente em que se veem inúmeras relações ítalo-brasileiras. As duas culturas, tão próximas desde muito tempo, estão refletidas nos personagens. Crime, traição, investigação, fantasia, poesia, teatro e romance fazem parte desta obra.

“O espetáculo tornar-se-á um exercício artístico para o amadurecimento de toda equipe, trabalhando em função da valorização das artes literária e cênica, como objetivo do estímulo a leitura e a escrita, do estímulo ao pensamento e a sua expressão, integração social, arte e cultura, criatividade, pensamento crítico literário, além de estimular diversas áreas econômicas, aumentando a aquisição de livros, aquecendo assim, os mercados literários e de espetáculos”, pontua o autor.

O diretor Normando Roberto Santos ressalta a importância de proporcionar o acesso de estudantes, professores, pesquisadores, escritores e demais públicos interessados em literatura e artes cênicas, no desafiador e prazeroso universo do conhecimento e expansão do saber, através de uma intrigante e estimulante história e seus respectivos temas abordados.

Os grupos, que há um pouco mais de um ano estão juntos nesse processo, são: “Haja Teatro”, de Normando Roberto, e o “Cancela o Espetáculo”, que tem o próprio Portela como produtor. No elenco, atores com vasta experiência, tanto no teatro como no cinema, é o caso do próprio diretor – que também está em cena -, e no cinema já atuou em filmes de Kléber Mendonça Filho e de Cláudio Assis. Amaro Vieira, que dentre as várias peças que já participou, está a Terra dos Meninos Pelados. “Encarar novos desafios, está envolto ao mundo do teatro, mesmo com as inúmeras dificuldades, é sempre prazeroso”, complementa o ator.

 

Rose Quirino também faz parte do elenco e questiona a falta de apoio e incentivo a projetos como este: “vivemos ainda com pessoas que tem a cabeça fechada para a arte, além de termos constantemente de enfrentar problemas estruturais em nossas casas de espetáculos, muitas fechadas há anos, como é o caso do teatro de Parque, assim fica difícil fazer cultura em Pernambuco”.

O professor de literatura, Robson Teles, que prefaciou A última volta do ponteiro aponta que, mesmo diante das dificuldades, a feitura do espetáculo justifica-se pela necessidade da dedicação à adaptação de textos literários que mergulhem na complexa rede da subjetividade humana, tecendo tempos narrativos adversos que, bem construídos, permitem o surgimento de um trabalho com fino trato estético dentro das artes nacional e internacional.

Sobre o autor:

Adriano Portela é jornalista, escritor e professor universitário. Autor do livro “A última volta do ponteiro” (Bagaço), coautor da coletânea “Enquanto a noite durar” (APPED); roteirista e diretor de cinco curtas metragens, sendo três premiados em festival. Sua produção mais recente no teatro foi com a comédia “Mito ou Mentira?”, de Luiz Felipe Botelho, peça que em 2013 marcou os dez anos do grupo Cancela o Espetáculo.

Sobre o diretor:

Normando Roberto Santos já atuou e dirigiu mais de 15 espetáculos teatrais, entre eles: A Derradeira Ceia, Paixão Cristo do Recife, O Mulato, entre outros; atuou em seis longas, com destaque para O Som ao Redor, de Kléber Mendonça Filho, e Amarelo Manga, de Cláudio Assis; também atou em seis vídeos para comercial.

Serviço:

Dias (quintas e sextas): 17,18 e 19 de dezembro.

Teatro Marco Camarotti, Sesc  Santo Amaro.

20h para os quatro dias.

Ingressos no local ou com o elenco. Preço: R$ 15.

OBS. O livro também estará à venda no local, no estande da Casa Projetos Culturais e Agenciamento literário, por R$ 20.

 

Você também vai gostar:

Quando a “feiura” expressa
Cineasta pernambucano comemora dez anos de luta no audiovisual

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>