Tag: entrevista

Bate-Papo Parlatório

unnamed okFoi lançado este ano o livro “Mariposa- Asas que mudaram a direção do vento”, da autora Patrícia Baikal. O romance se passa em Brasília, no ano de 2020 e nos apresenta a história de um senador que denuncia crimes de corrupção. Mas o que ele não esperava era contar com a proteção e a ajuda de uma bela e sedutora mulher, a misteriosa Mariposa. Entre março e abril, esta obra ficou em primeiro lugar entre as mais vendidas no gênero Crime, Suspense e Mistério no site da Amazon. Um sucesso de vendas. E muito em breve, o livro ganhará uma resenha na Coluna Leitura do Dia, mas agora trazemos para vocês uma entrevista exclusiva com a autora Patrícia Baikal.

 

(Lorena Moura) O fato de você ser advogada, ajudou na elaboração do livro? Como?

(Patrícia Baikal) Sim, pois na história de “Mariposa” há uma proposta de Emenda Constitucional que visa minimizar a corrupção no Brasil. Trata-se do RECALL, instituto já existente em alguns países como os EUA, pelo qual o povo pode revogar o mandato dos parlamentares corruptos. Foi preciso, portanto, algum conhecimento jurídico para inserir isso no livro.

 

(Lorena Moura) A obra é baseada em algum caso real? Um caso de bastidor do meio político?

(Patrícia Baikal) Não. Foi inspirada na atualidade brasileira como um todo. A “Mariposa” é uma heroína ficcional, assim como o senador Nicolas e os outros personagens.

 

 (Lorena Moura) Como surgiu o interesse de criar um livro com esta temática ?

(Patrícia Baikal) Gosto de escrever sobre a atualidade e usar a ficção para refletir sobre os problemas sociais. Tentei fazer isso no meu primeiro romance,  tratando a política de forma leve, em um enredo que seja gostoso de ler.

 

(Lorena Moura) Você acha que existe esperança para o Brasil, mesmo com tantos casos de corrupção?

(Patrícia Baikal) Certamente. E é sobre isso que o livro trata. Nicolas, o senador que narra a história, é honesto e faz política com ética, ao contrário do seu rival político, Brassel. Há portanto dois polos se enfrentando no livro, representando a corrupção e a esperança.

 

 (Lorena Moura)Qual o seu personagem preferido? Qual o motivo ?

(Patrícia Baikal) Todos os personagens no livro são muito especiais para mim… Mas se tenho que escolher um, fico com a Mariposa por sua importância na história. Ela é enigmática e, por vezes, não é possível saber ao certo de qual lado ela está: contra ou a favor de Nicolas ou se é do partido da situação ou da oposição. O leitor vai descobrindo seus mistérios aos poucos, e apenas no final da trama é que a sua identidade é revelada. Mariposa foi inspirada nos heróis de quadrinhos: é mascarada e enfrenta vilões. Seu nome não foi escolhido à toa. As mariposas preferem voar durante a noite, procuram a luz e são ágeis, como a própria personagem. Mariposa também tem seu lado fantástico e surrealista, aparecendo nos sonhos do Nicolas, de forma perturbadora. Ela me conquistou e desejo que ela conquiste outros leitores também!

Entrevista Gustavo Delfino

001O professor e jornalista André Corredoura entrevista para o Parlatório, Gustavo Delfino Schnneider, comunicador social e corporativo, especialista em comunicação e empresarial e endomarketing.

Clique e Confira!

Parlatório e a edição Cartonera

O Parlatório fala sobre edição Cartonera e recebe o poeta César dos Anjos!

Hoje você vai entender o que é e como funciona a edição Cartonera; um movimento que surgiu em meio à crise Argentina e hoje está conquistando escritores e leitores do mundo todo. César dos Anjos, assim como o também escritor pernambucano Wellington de Melo, é um dos autores que se encantou com a proposta editorial. Ele lançou duas obras neste formato artesanal criativo: O Miserável e Qualquer idiota morre depois.

Dos Anjos é escritor, produtor cultural e membro da União Brasileira dos Escritores (UBE-PE). Não perca essa entrevista. Quem sabe você será o próximo “Cartonera”!

Parlatório Cultural

O Parlatório aborda as diversas ferramentas da cultura e recebe a “Colaborativa PE”. Assista a entrevista e descubra como a Concha Acústica da UFPE foi recuperada e transformada num pólo cultural. E ainda, uma novidade em primeira mão. Não perca!

Duas mulheres em preto e branco no Parlatório

Adriano Portela recebe as atrizes Paula de Renor e Sandra Possani. Elas dividem cena em espetáculo com texto de Ronaldo Correia de Brito e direção de Moacir Chaves. “Duas mulheres em preto e branco” realiza temporada no Teatro Eva Herz, na Livaria Cultura do shopping Rio Mar. Clique e Confira!

Fim dos Tempos e a Religiosidade

Você já ouviu falar em fim dos tempos? Apocalipse? Nova era? Julgamento final? Esse tema tão polêmico é alvo de debate aqui no Parlatório. O programa vai mostrar a opinião de diversos segmentos religiosos. Para este segundo bate-papo, o educador e conferencista Lourenço Barros ressalta a visão da doutrina Espírita sobre o assunto.