Tag: adriano portela

Parlatório TV Enquanto Isso na Sala da Justiça 2017

Os repórteres Adriano Portela e Rafaela Jasset percorreram o salão do centro de convenções de Pernambuco em busca dos super-herois mais bizarros do planeta! Um encontro pra lá de animado. Confira na reportagem do Parlatório TV!
Uma realização Portela Produções. 

#EnquantoIssoNaSalaDaJustiça2017 #carnavalDoRecife

Parlatório Bella

A escritora Daniella Pontes está no Parlatório TV! Ela traz o romance Bella! Confira.
#bella #romance #LiteraturaPE

Parlatório – Escritor Alexandre Furtado!

O jornalista Adriano Portela recebe o escritor Alexandre Furtado. O autor bate um papo sobre o seu livro de contos: Os mortos não comem açúcar. Confira!
#ParlatórioTV #LiteraturaPE #AlexandreFurtado #escritor

Cineasta pernambucano comemora dez anos de luta no audiovisual

Foto divulgação. Diretor Adriano Portela (2)

Adriano Portela

No próximo dia 28 de março, o cineasta e escritor Adriano Portela comemora uma década em pleno trabalho no cinema. O evento será no pomposo cinema São Luiz, às 19h. Durante a noite ocorrerá a estreia do curta “Respira Tom” – que tem trilha sonora cedida pela Banda Eddie -, e a reexibição do primeiro filme do diretor: “O Sobrado de São José”, que conta com a participação especial dos jornalistas: Artur Tigre, Graça Araújo, Mônica Moraes e Cardinot. A noite será de premiação e também haverá o anuncio oficial do primeiro longa metragem da Portela Produções: “O Recife Assombrado”.

Edital? Dinheiro público? Patrocínio? Nada disso, Portela enfrenta o tremendo desafio que é realizar Arte no nordeste. Com apoio dos amigos, da família e de uma equipe que o acompanha durante esses dez anos, o diretor recifense conseguiu realizar sete filmes e conquistar vários prêmios pelo país. O curta chamado “Prenúncio” (ficção, 2009, 17 minutos), por exemplo, foi o único do nordeste a ser selecionado para o Festival de Cinema Fantástico de São Paulo; “Reverso” (ficção, 2010, 01 minuto) foi vencedor do prêmio Agora Curta, da Rede Globo Nordeste; “Menina Sem Nome” (doc, 2007, 19 minutos) foi finalista do festival da UFRJ; e “Um passo à frente” (doc, 2014, 19 minutos) chegou a ser alvo de pesquisa de mestrado na Espanha.  No fim do ano passado Portela estreou “Ponto de Remendo”, com Geninha da Rosa Borges, o curta foi selecionado e exibido no FestCine 2015.   

O filme “O Sobrado de São José” foi pioneiro da Portela Produções. “O curta foi uma grande festa. Eu trabalhava como repórter em uma emissora de TV, e lá resolvemos contar uma história assombrada, o que resultou num roteiro. A emissora nos emprestou todo o material e começamos a brincar de fazer cinema. A partir daí, tomamos gosto!”, pontua Portela. A obra resultou numa divertida comédia, com doses de suspense, trazendo algumas lendas urbanas estudadas e catalogadas por Gilberto Freyre, são elas: o Barão enrolado no lençol manchado de sangue, o Velho do Saco, a Menina do Algodão, o Papa-figo e outras.  

Foto divulgação. Filme Respira Tom

Gravação do filme: Respira Tom. Ator: Rafael Andrade

o curta novo: “Respira Tom”, é diferente de tudo que já fora feito na Portela Produções nestes dez anos, inclusive o roteiro, que pela primeira vez foi assinado por outra pessoa, pela artista plástica Melissa Agnelo. A obra conta a história de Antônio e João, jovens homossexuais moradores de uma república situada na histórica e fantasiosa cidade de Olinda, que vivem problemas circunstanciais. Abatidos por uma informação indesejada, eles buscam apoio mútuo e costuram seus enredos em meio ao carnaval das ladeiras olindenses. Cheio de emoção e suspense, “Respira Tom” é um fragmento da realidade e ao mesmo tempo uma busca pela poeticidade. Os personagens vão vivenciar o que o poeta Manuel Bandeira havia dito em “Pasárgada”, vão chorar durante os versos de Cartola em “O Mundo é um Moinho” e criar coragem depois de um carnaval; respirar fundo, contar o que está se passando e respirar novamente, mas, desta vez, aliviado.

Foto divulgação. Filme O Sobrado de São José

Filme: O Sobrado de São José. Atriz: Danny Lins

O próximo projeto de Portela e sua equipe é realizar o primeiro longa metragem: ” O Recife Assombrado”. O filme pretende responder o porquê de o Recife ser considerada a capital mais assombrada do país. “Queremos – com a feitura da obra -, entender a força dessas histórias, numa trajetória que vem da oralidade até a concretização na literatura. Gilberto Freyre, Carneiro Vilela, Fátima Quintas e outros escritores serão as bases para o esse embasamento teórico”, complementa Roberto Beltrão, escritor e pesquisador do longa.

“A ideia é que esse longa, que será um docudrama – documentário com cenas de ficção -, torne-se um referencial audiovisual para pesquisa nacional e internacional sobre a temática que envolve o Recife. Metrópole que à noite, como dizia Freyre, mais parece uma cidade inglesa desgarrada nos trópicos”, diz Adriano Portela.

Elenco assombrado

Elenco assombrado

O longa envolve duas produtoras de cinema, a Portela Produções e a Viu Cine, e conta com a parceria do site O Recife Assombrado e seus internautas. O elenco é todo pernambucano, muitos vêm dos palcos e vão estrear nas telonas!

Ainda segundo o diretor, a obra está em fase de pré-produção, com reuniões com o elenco, levantamentos de dados, e um estudo bem apurado da temática. Ela está inscrita em alguns editais, também vai passar por um crowdfunding; e as filmagens devem começar ainda neste ano. Segundo o produtor executivo, Ulisses Brandão, o filme, deve ser lançado em 2016. Tudo poderá ser acompanhado pelos sites: www.orecifeassombrado.com e www.portelaproducoes.com.br

Produtores anunciam produção de longa assombrado!

Foto: Diego Herculano

Foto: Diego Herculano

A semana passada foi repleta de palestras, debates e encenações no Festival O Recife Assombrado, que ocorreu no Teatro Marco Camarotti e no salão de festas do Sesc. Pesquisadores, escritores e atores aguçaram ainda mais a curiosidade do público e lançaram um modelo mais atual do site: http://www.orecifeassombrado.com/

E agora tem mais novidade! Roberto Beltrão, escritor e editor do site O Recife Assombrado; André de Sena, professor da UFPE e especialista em Literatura Fantástica; e Adriano Portela, jornalista, escritor e cineasta, anunciam a produção de um longa-metragem onde vão abordar a temática “mal-assombrada”. O filme será um documentário e tentará responder o porquê do Recife ser considerada a cidade mais assombrada do país. Os três assinam o argumento da obra, e Portela assume roteiro e direção. O longa envolve duas produtoras de cinema, a Portela Produções e a Viu Cine, e conta com a parceria do site O Recife Assombrado e seus internautas.

“Estamos em fase de pré-produção, fazendo reuniões, levantamentos, um estudo bem apurado da temática. Pretendemos ouvir todos os especialistas no assunto, conversar com público, com os ficcionistas. Vamos unir a ficção ao documentário, creio que o filme servirá de referencia para quem desejar entender mais sobre essa história que tanto envolve o povo recifense”, pontua Portela.

A obra vai passar por alguns editais, também por crowdfunding, e as filmagens devem começar ainda neste ano. Segundo Ulisses Brandão, da Viu Cine, o filme – cujo nome ainda não foi definido -, deve ser lançado em 2016. Tudo poderá ser acompanhado pelos sites: www.orecifeassombrado.com e www.portelaproducoes.com.br

Por onde anda Monk?

0200021Por Adriano Portela

Essa é uma série para ver e rever a todo o momento. Monk consegue juntar o que tem de melhor no audiovisual: roteiro e interpretação. O texto é inteligente e faz com que o telespectador vá juntando peças e participando da investigação, e o humor vem de forma simples e divertida, sendo atrelado a um problema psicológico, que é o Transtorno Obsessivo Compulsivo. O TOC é muito bem representado por Tony Shalhoub, que dá vida ao protagonista Adrian Monk.

A série americana foi escrita por Charles Evered, criada e por Andy Breckman (fã de Sherlock Holmes) e produzida pelo próprio Breckman e por David Hoberman, Rob Thompson e Tony Shalhoub. Monk foi ao ar em julho de 2002 e seu último episódio fora em dezembro de 2009, pela emissora USA Network.

Adrian Monk é um detetive que fazia parte da polícia até a sua esposa ser morta e ele passar a sofrer ainda mais com as fobias, por isso foi afastado da força policial. Mas a fantástica capacidade de dedução de casos torna Monk um tipo de detetive particular e consultor das autoridades.

Mas cadê Shalhoub?

Eu só descobri dias depois de ter assistido ao filme. Vocês podem não fazer idéia, mas o nosso Monk esteve nas telonas do cinema recentemente, bom, pelo menos a sua voz. Tony Shalhoub deu vida (áudio) ao mestre Splinter, em As Tartarugas Ninjas.

Essa é a magia da interpretação, nem sempre é preciso se mostrar para mostrar o verdadeiro talento. Bom, detetive ou rato.. uma saudade imensa de Monk! Você que ainda não viu… corra para fazer isso.