Kafka e a boneca viajante no tempo

kafka-e-a-boneca-viajante.jpg ok okoPor Lorena Moura

Era uma vez uma menina (Elsi) que perdeu a sua boneca (Brígida). Era uma vez também, Franz Kafka que passeando por um parque de Berlim encontrou essa mesma menina chorando por ter perdido sua boneca. Triste pela situação da pequena, Kafka resolve então criar uma pequena história. Na ideia dele, a boneca não estava perdida e sim, tinha viajado para conhecer o mundo. Kafka vira um “carteiro de bonecas”, que distribuiu por três semanas cartas para essa jovem garotinha. É assim que tem início o incrível e poético livro resenhado na Coluna Leitura do Dia desta semana, “ Kafka e a boneca viajante”.

Para começar, gostaria de ressaltar que essa é uma história real. Não o conteúdo das cartas e sim o fato, que só foi reportado tempos depois por Dora, namorada de Kafka, que contou a terceiros essa história. Como Kafka nunca contou isso a mais ninguém e nem guardou as cartas, coube a pessoas talentosas como o premiado escritor Jordi Sierra responsável por essa obra, criar de maneira primorosa a narrativa das cartas. Para quem não sabe, a publicação ganhou o prêmio de literatura infantil juvenil de 2007, na Espanha e hoje é lido por um público bastante diversificado. É um livro atemporal. O tipo de obra que deve ser lido em vários momentos da vida.

Agora voltando a obra, imaginem a sensibilidade de uma pessoa como Kafka que ao ver uma menina chorando pela perda de sua boneca, resolve escrever essas cartas para ajudar uma pessoa a superar uma perda. Incrível, emocionante e sensível. São essas três palavras que para mim, descrevem a obra. O livro nos desperta sorrisos espontâneos e pequenas pontadas de alegria no peito.

Através de palavras cheias de vida, Kafka começa a passar mensagens importantes que só irão contribuir para o desenvolvimento da garotinha durante toda a sua vida. É tão lindo de ver, ou melhor, ler a evolução da menininha que vai aos poucos se tranquilizando com a perda de sua boneca e torcendo a cada carta recebida por um futuro brilhante para sua amiga.

Kafka cria um novo mundo para boneca, e mostra a sua dona, que ela está conhecendo novos lugares. Em Paris por exemplo, ela diz que visitou o Louvre, conheceu a Torre Eiffel e depois  seguiu para diversos outros países. Até chegar a uma viagem que irá mudar para sempre sua vida e a da sua “dona”( ou melhor, amiga). As carta verdadeiras nunca foram encontradas, mas o amor que esse livro transborda é tão verdadeiro, que merece ser lido e relido sempre! Leiam! Boa leitura!

Lorena Moura- Jornalista

lorenamoura87@gmail.com

Você também vai gostar:

A busca pela paz interior
O difícil processo da criatividade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>