James Bond, em uma nova roupagem

CARTE BLANCHEDevo confessar que nunca me interessei por 007, o charmoso e encantador  James Bond.  Triste realidade. Mas ,isso mudou desde que fiquei sabendo que um dos meus autores preferidos Jeffery Deaver (http://parlatorio.com/melhor-do-genero-policial/) foi escolhido pelos  herdeiros de Ian Fleming, o autor que criou o personagem para escrever um novo romance sobre o  espião londrino que ganhou o mundo. Fleming para quem não conhece era um oficial da Inteligência Naval do Reino Unido, jornalista e escritor britânico e  aproveitou  para depositar toda a sua  experiência  na construção do personagem mais sexy e charmoso  que o mundo conhece.

Mesmo não tendo o hábito de ler os romances de Bond  sempre acompanhei a sua história no cinema.   E uma diferença bem sutil que  Deaver conseguiu inserir no livro  foi a de dá uma nova vida e alma a Bond. O espião no livro está  mais humano dos que os apresentados no cinema. Nas telas grandes  ele é frio e calculista. Mas nesta obra  ele se importa com as pessoas, e até mesmo se interessa pela vida particular de alguns personagens. É um Bond de carne e osso, não apenas o super- herói, inabalável que é apresentado por hollywood. Garanto que você irá se surpreender. É uma aventura eletrizante que você não vai conseguir desgrudar. Em algumas partes quando Bond está em campo na missão, quando ele segura a respiração em algum momento tenso, não se surpreenda se você também, mesmo que inconscientemente  também  estiver sem respirar.   

James Bond trabalha no MI6, serviço de inteligência e a aventura começa quando  a organização recebe a informação de um provável ataque que irá resultar em centenas de mortes. Com isso Bond tem que agir rápido para tentar deter o ataque que ele não faz ideia de como será e  de onde pode acontecer. O espião  começa a seguir pistas e as primeiras informações que chegam o levam a uma caçada internacional onde ele pode atuar com a sua Carte Blanche( que dá o nome do livro), ou seja, carta branca, que lhe confere o poder de fazer tudo o que quiser e puder para proteger o Reino Unido.  James passeia pela Sérvia, Dubai e África do Sul para tentar descobrir mais sobre essa catástrofe.

Mas no meio da investigação  James descobre que o que ele procura está em solo britânico o que diminui o seu poder de atuação. Afinal em solo britânico ele perde a sua Carte Blanche  e passa a responder a outro agente da organização e recebe a Carte Grise(carta cinza), com várias restrições.

É comum James Bond enfrentar os piores inimigos, e neste livro ele terá pela frente Severan Hydt, um sujeito esquisito, que ama o lixo e que fez fortuna justamente em cima do lixo dos outros. Só aos  poucos vamos descobrindo todas as esquisitices de Hydt. E além do vilão, uma coisa que não poderia faltar são as lindas mulheres que cercam Bond e ela,  a Bond girl que conquista o coração de Bond.  Acho que os meninos que leem a coluna, também adorariam ter uma bond girl para chamar de sua.

Inteligência, habilidade, tecnologia tudo se mistura nesse romance encantador de James Bond. Se você assim como eu, não tinha tanta intimidade com Bond, relaxe depois desse livro ele vai virar um dos seus personagens preferidos. Porque Bond vai além do seu limite, se superando várias vezes e conseguindo cumprir a risca todas as suas missões. E isso encanta e motiva a todos.

Lorena Moura – jornalista
lorenamoura87@gmail.com

Você também vai gostar:

Patterson, e a sua arte de mexer com a imaginação do leitor
A mágica da arrumação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>