Imaginação ás vezes não é o suficiente

Amenina que não sabia lerLivro:A menina que não sabia ler
Um misto de muita imaginação e criatividade fazem parte do livro criado pelo escritor John Harding. Mas mesmo com toda a sua originalidade, Harding não consegue prender o leitor. É muita invenção para poucas páginas de leitura. Falta uma narração mais envolvente e situações menos confusas. Eu sei que literatura vai além do real, e talvez se a personagem principal e todo o enredo da obra fossem mais claros talvez o cenário surreal que encontramos pudesse ser mais tolerável.

O livro se passa na Nova Inglaterra, no ano de 1891, em um lugar afastado onde a nossa personagem principal de apenas 12 anos, a Florence vive com seu irmão, Giles. Eles são criados por empregados e uma governanta. O tio de Florence é o seu tutor, mas não tem nenhuma aproximação com as crianças. Ele também já deixou bem claro que não quer Florence perto da biblioteca. O conhecimento para garotas deve ser evitado a todo custo, segundo o pensamento do tio. Tem também o amigo de Florence, Theo que mora bem perto dela e vai vivenciar muitas aventuras.

A nossa protagonista como já adianta o título desta obra não sabe ler. Mas a garota sempre demonstrou muito interesse pelas palavras e acabou burlando a regra e aprendeu a ler sozinha escondida na biblioteca do tio. Até ai tudo ia muito bem, o livro parecia que iria me ganhar. Mas não foi o que aconteceu. Logo depois de uma melhora, vem uma nova derrota da construção da história. Faltou uma certa agilidade a narrativa do livro. A obra é contada em primeira pessoa pela Florence. Acompanhamos a morte de uma governanta, os sonhos, pesadelos ou realidade vividos pela garota. Mas até que ponto podemos saber se é realidade ou não o que ela nos apresenta ?

Se engana quem acha que o livro é uma coisa leve, uma historinha bonita falando de uma garotinha que não sabia ler. É um suspense tenso, que mesmo pecando no decorrer do livro, consegue surpreender no final. Mas não consegue apagar todo o tédio das páginas anteriores. O livro deixa muitos questionamentos no ar. Quem eram os pais de Florence e Giles? Morreram de que?  Por que o tio não deixava Florence aprender a ler? Era só machismo? Tudo contado foi real ? Que mistério a governanta esconde?

A literatura oferece um mundo cheio de vida, onde o permitido é viajar sem sair do lugar físico. É ganhar asas ou se teletransportar para onde quiser… ou melhor para onde a leitura te levar. Desta vez não gostei muito para onde ela me levou. Não foi um livro que ao acabar eu ficasse de luto por ele ter chegado ao fim. Não, não foi assim. Foi bom ter acabado, eu me senti livre para ser feliz com outro novo livro.

Lorena Moura
lorenamoura87@gmail.com

Você também vai gostar:

O raio X das mulheres
A nova série de Nora Roberts

One comment on “Imaginação ás vezes não é o suficiente

  1. Olá, eu li ” A menina que não sabia ler” então o achei tão tedioso assim. Claro que fiquei com algumas dúvidas sobre a história, mas acredito que os fatos não esclarecidos no livro foram deixados assim de propósito pelo autor. Enfim, eu gostei do livro e pra mim a leitura fluiu tranquilamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>