Em arte, gostar não é a questão

16809050_1202803369817760_1803662195_nPor Clodoaldo Turcato

É senso comum que devemos gostar ou não gostar de algo. Quando nos é apresentado determinado produto ou trabalho temos apenas duas escolhas. O movimento atual que prioriza as instalações é um exemplo disso. Muitos admiram, estendem elogios e se derretem. Outros simplesmente torcem o nariz. Um crítico precisa antes de gostar ou não, compreender a obra dentro de muitos aspectos. Se o espectador for aramado de feio e bonito, não conseguirá ir adiante ao Estudo da arte.

Quando vi a obra deJean Arp pela primeira vez eu ainda era iniciante em arte. Comentei com uma amiga que aquilo só poderia ser brincadeira. Como que alguns sulcos de tinta sobre madeira poderia ser arte de alto nível? Uma visão imediatista, evidentemente. Com o estudo e o passar do tempo, não cheguei a gostar de Arp, mas compreendi sua importância.

Arp nasceu em Estrasburgo , o filho de um francês mãe e um alemão pai, durante o período seguinte à Guerra Franco-Prussiana , quando a área era conhecida como Alsace-Lorraine depois de a França tinha cedido a Alemanha em 1871. Após o retorno da Alsácia à França no final da Primeira Guerra Mundial , a lei francesa determinou que seu nome se tornasse Jean .

Em 1904, depois de deixar a ÉcoledesArtsetMétiers em Estrasburgo , foi para Paris onde publicou sua poesia pela primeira vez. De 1905 a 1907, Arp estudou na Kunstschule em Weimar , Alemanha , e em 1908 voltou a Paris, onde participou da Académie Julian . Arp foi um membro fundador do BundModerne em Lucerna, participando de suas exposições de 1911 a 1913. Em 1912, ele foi para Munique, convidou Wassily Kandinsky , o influente pintor russo e teórico da arte , foi encorajado por ele em suas pesquisas e exibido com o grupo Der BlaueReiter . Mais tarde esse ano, ele participou de uma grande exposição em Zurique, juntamente com Henri Matisse , Robert Delaunay e Kandinsky . Em Berlim, em 1913, ele foi levado por HerwarthWalden , o negociante e editor de revista que era na época uma das figuras mais poderosas da avant-gardeeuropéia. Em 1915, mudou-se para a Suíça para aproveitar a neutralidade suíça.

Um dos seus quadros mais famosos e representativos é Folhas e umbigos, 1. Pintado sobre madeira com tamanho de 101X81 cm, pequenos círculos pontuam a quietude desta obra, destacando-se o fundo pintado em madeira branco graças à sombra de suas formas em relevo. Elas estão arrumadas num padrão harmonioso, sem ordem lógica, evocando a agitação de folhasao vento ou o natural acaso de pingos de chuva caindo no vidro. A obra de Arp e caracterizada pelo uso de formas escultóricas sensuais, que lembram elementos orgânicos, altamente poéticas e sugestivas em sua delicadeza. O quadro está no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

A carreira de Arp foi distinguida com muitos prêmios, incluindo o Grande Prêmio de Escultura na Bienal de Veneza de 1954 , prêmios de escultura na Pittsburgh International de 1964, 1963 Grand Prix NationaldesArts, 1964 Carnegie Prize, 1965 Goethe Prize da Universidade de Hamburgo , E então a ordem do mérito com uma estrela da república alemão. Arp e sua primeira esposa, a artista Sophie Taeuber-Arp , tornaram-se nacionais franceses em 1926. Na década de 1930, eles compraram um pedaço de terra em Clamart e construíram uma casa na borda de uma floresta. Influenciado pela Bauhaus , Le Corbusier e Charlotte Perriand , Taeuber projetou. Ela morreu em Zurique em 1943. Depois de viver em Zurique, Arp foi fazer Meudon sua residência principal novamente em 1946.

Arp casou-se com a colecionadora Marguerite Hagenbach, seu companheiro de longa data, em 1959. Ele morreu em 1966, em Basel , na Suíça .Existem três fundações Arp na Europa: A Fundação Arp em Clamart preserva o atelier onde Arp viveu e trabalhou durante a maior parte de sua vida; Cerca de 2.000 visitantes visitam a casa a cada ano. A Fondazione Marguerite Arp-Hagenbach em Locarno, na Suíça , foi fundada pela segunda esposa de Arp, Marguerite Arp-Hagenbach. Uma fundação dedicada a Arp, chamada Stiftung Hans Arp e Sophie Taeuber-Arp, foi criada em 1977 pelo comerciante JohannesWasmuth em consulta com Marguerite Arp-Hagenbach e possui a maior coleção de obras da Arp e detém os direitos de autor de Todas as suas obras. Tem centro de pesquisa e escritório em Berlim, e um escritório em Rolandseck, Alemanha.
Arp é o típico caso em que olhamos para o quadro e gostamos ou não, porém ele intriga e acabamos por soluções que nos faça compreende-lo e ao entendermos, percebemos sua importância no contexto artístico mundial.

Você também vai gostar:

O guerreiro nordestino
Poemas de Mestrado. A Prefiguração do Fim

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>