Cristianismo ou Paulinismo?

Cristianismo ou Paulinismo?Até que ponto vai o poder de Paulo de Tarso na formação da teoria Cristã? Teria ele deturpado os ensinamentos de Jesus?

Muitos estudiosos afirmam que se não fosse Paulo, o Cristianismo teria sido somente mais uma seita Judaica. Só que ele nem foi evangelista e nem apóstolo.

Bom, vamos entender.

Para começar precisamos saber a diferença entre apóstolo e discípulo. Apóstolo é uma palavra derivada do grego que significa enviado e discípulo é um vocábulo de origem latina que significa aluno. Então, Jesus tinha doze apóstolos e inúmeros discípulos.

Quem foram os evangelistas?

Marcos, Mateus, Lucas e João. Exatamente nesta ordem. Marcos e Lucas não foram discípulos de Jesus; Mateus e João sim. Marcos, sobrinho de Simão Pedro, escreveu o primeiro evangelho e teve como fonte o próprio tio. Mateus e Lucas se basearam nos escritos de Marcos e em documentos; Mateus, como fora um dos apóstolos (era o coletor de impostos), presenciou quase tudo que o Mestre realizou. Esses três evangelhos ficaram tão parecidos que ganharam o nome de “Evangelhos Sinóticos”, semelhantes. As escrituras de João são bem diferentes, enquanto Marcos apresenta Jesus como filho de Deus, Mateus como o messias esperado pelos judeus e Lucas como o rei dos humildes, João vem na essência dos ensinamentos, no conteúdo deixado por Jesus.   

P.S. Destes, o mais amigo de Paulo de Tarso era Lucas. Os dois chegaram a pregar juntos.

Quem foi Paulo de Tarso?

Paulo ainda não! Isso foi depois. O nome dele ainda era Saulo. Tarso era a terra natal dele, um dos núcleos do Império Romano na Ásia. Saulo era um grande perseguidor do Cristianismo. Certa vez ele fora ao Sinédrio, era um tipo de Supremo Tribunal da Comunidade Judaica, pedir autorização para matar os cristãos. Com o aval superior, ele começou a derrocada. E na estrada que dá acesso a Damasco, na Síria, acompanhado de 200 homens, uma luz forte o derrubou do cavalo, ele ficou sem enxergar e escutou uma voz: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”, ‘Quem é?”, indagou. “Jesus, aquele a quem tu persegues. “Mas ide, na cidade te dirão o que deves fazer”.

Em Damasco um homem chamado Ananias foi até ele e disse que foi a mando de Jesus. Saulo passou a acreditar, voltou a enxergar e partir de então ficou conhecido como Paulo de Tarso. Um dos maiores defensores do Cristianismo.

Como ele era bem ferrenho com cristãos de Jerusalém, ele foi pregar mais distante. E é exatamente por este gancho que os historiadores afirmam que ele firmou os ensinamentos de Jesus. Enquanto os apóstolos ficaram na Palestina, Paulo ganhara o mundo. Como a terra santa seria ainda diversas vezes destruída e ninguém tivesse saído de lá, os ensinamentos poderiam ter morrido ou perdido força.

Paulo deturpou a teoria de Jesus?

Alguns teólogos dizem que sim, pelos seguintes argumentos: o convertido defendia o Império Romano, o pagamento de impostos, fazia apologia a escravidão e pregava a submissão da mulher.

Vamos a Bíblia. Repare nos trechos:

Por isso vocês pagam impostos, pois os que governam também são filhos de Deus.

Servo, obedecei ao vosso senhor com tremor e com temor como se fosse ao Cristo.

Não é permitido que a mulher ensine ou domine o homem.

Agora a minha análise:

Jesus também não disse “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”? Paulo falou a mesma coisa só que não teve a delicadeza das palavras do Mestre. Se o servo tratar com respeito o seu senhor, não será melhor pra ele mesmo, já que isso pode possibilitar penas mais leves? Quanto a submissão da mulher, creio que isso fazia parte da cultura da época. E cá pra nós, Paulo foi essencial em ter distribuído a palavra do Cristo, mas não era nenhum santo – pelo menos ainda não tinha levado o título de São Paulo. Ele andou matando um monte de Cristão antes de se converter. Tudo bem, se arrependeu; mas por causa disso já seria perfeito? E os costumes da época; ele não teria coisa mais importante, como a mensagem do messias, para se preocupar em focar?

E por que ele teria influenciado tanto no evangelho?

Para se ter uma ideia, as 13 cartas escritas por ele foram criadas entre os anos 50 e 60. Os quatro evangelhos ficaram prontos entre 70 e 100 depois de Cristo.

Até o século 4, o Cristianismo se dividia em duas correntes, a de Paulo e a dos apóstolos. Quando a doutrina se tornou oficial, ganhou a corrente de Paulo.

Fim das contas

Influenciando ou não, matando cristão ou não, sendo Saulo ou sendo Paulo, tudo isso não importa. O que fica mesmo é esta frase de Emmanuel, citada no livro A caminho da luz: “A grandeza da doutrina cristã não reside na circunstância de o Evangelho ser de Marcos ou de Mateus, de Lucas ou de João; está na beleza imortal que se irradia de suas lições divinas, atravessando as idades e atraindo os corações”.

Adriano Portela – Jornalista

Você também vai gostar:

Dica ALEPE
Todo mundo sai ganhando.

One comment on “Cristianismo ou Paulinismo?

  1. Linda reflexão! Parabéns pelo lindo texto.Que Deus abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>