Canalha moderno

12596155_984942964926329_1041679704_n

Por: Judite Mendes

Calça jeans, camisa básica de qualquer cor, sapatênis e óculos escuro, esse é o traje.Ele pode parecer distraído, mas está a par de tudo que acontece no ambiente. Fumando seu cigarro, jogando a fumaça pro ar demostrando segurança, ou fazendo carinho na barba enquanto sorri para um amigo imaginário que ele acabou de conhecer. Pega o telefone do bolso da calça e num golpe de mestre ativa aquele aplicativo de paquera, qualquer um que seja. Ele haje na segurança das palavras bonitas. – Esteja atenta, pequena.

Ambientes preferidos dele: Bares temáticos, quiosques, aniversários dos sobrinhos, lanchonetes e na rua. Lugares oportunos em que ele sabe tirar proveito. Nunca, jamais, deixe ele te ajudar com algum problema. As consequências desse desenrolar pode fazer mal ao seu coração, jovem. O canalha moderno não tem coração.O uso do poder da fantasia, torna ele um criador nato de cenários perfeitos para os sonhos impensáveis por uma pessoa comum.

Os relacionamentos dele costumam durar uma semana. Começa no domingo e acaba no outro domingo. – A desculpa? A vida tá corrida, é faculdade, trabalho, e ter que dar atenção à família. É típico deles. Eu falo isso porque já aconteceu com Bárbara, uma amiga minha. Ela sofreu durante um mês, o miserável prometeu viagens, passeios no parque, tomar sorvete ao ar livre, café da manhã na cama, dar amor quando estivessem velhinhos… Roubou os sonhos de Bárbara, nunca mais ela terá encantamento por ninguém. Eu conheço vários, mas não caí no jogo das palavras bonitas coladas com o doce da ilusão. Sou bem resolvida, já passei dos 30, sou uma mulher experiente no ramo dos namoros e romances passageiros.

Eu conheço de longe o canalha moderno. O pior é que a geração da década de 90 tem essa inclinação para iludir. Até acho que foi por causa da Xuxa… Deixo meu recado para as mais novas: vão à caça, não esperem por eles, hoje é difícil. Procurem os mais tímidos e em formação superior: Biomédicos, engenheiros, agrônomos… Geralmente são os mais sérios, tem uma vida água com gelo, e respeitam as companheiras. É um respeito que eles carregam por causa da mãe; é o velho complexo de Édipo. Se atentem a vida e aos passos na carreira amorosa. Cuidado com o canalha moderno. Abraços de paz.

Você também vai gostar:

O retorno de “O desaprendiz de estórias (Notas para uma Teoria da Ficção)”*
A arte desmistificando as histórias mal contadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>