A amizade, o respeito e o amor surgem de onde menos esperamos

coluna 04.02Por Lorena Moura

Quando um shopping estava prestes a ser construído em Seattle, apenas uma coisa impedia que o empreendimento avançasse de forma total, uma casinha onde morava uma velhinha bastante esperta, arengueira e sozinha, que se chamava Edith Wilson Macefield. Ela se recusou a vender a casa e por isso todo o planejamento da construção teve que ser alterado. Um shopping foi construído ao seu redor, mas a casinha estava ali. Eis que mandaram o responsável pela obra Barry Martin ir fala com Edith. Todos acreditavam que ele iria conseguir convencer a velhinha a aceitar o um milhão de dólares e finalmente se mudar dali. Mas o que aconteceu foi justamente o contrário. Uma amizade verdadeira acabou surgindo e mudou para sempre a vida dessas duas pessoas. O livro resenhado esta semana, “Uma casa no meio do caminho” é uma história real, que até serviu de inspiração para uma campanha de divulgação do filme Up:Altas aventuras.

No começo Barry apenas passava pela frente da casa de Edith,para saber se tudo andava em ordem, se ela precisava de alguma ajuda. Depois as visitas se tornaram mais constantes para logo em seguida ele assumir as tarefas rotineiras, como levar Edith ao médico, fazer o seu jantar, café da manhã, almoço… Mas Barry também tem uma família, que por sinal o apoia.  Porque a causa é nobre, ajudar uma senhora de 84 anos. Ás vezes, Barry ficava com peso na consciência por se afastar tanto de casa. Mas o que falou mais alto mesmo foi ter a convicção de que Edith precisava mais dele,e também a sensação de que estava fazendo o melhor para ajudar uma pessoa que não tinha ninguém por ela. Uma amizade pura e verdadeira que surgiu do nada.

Seria como se ao virar em uma esquina você conhecesse alguém que do nada estivesse prestes a te ensinar a maior lição dessa vida: a de se importar com o próximo. A se colocar no lugar dele; de ajudá-lo sem querer nada em troca, apenas pelo fato de que fazendo isso, você irá se sentir uma pessoa melhor. A amizade verdadeira surge de onde você menos espera e acabará trazendo ensinamentos importantíssimos.

“Uma casa no meio do caminho”, é uma obra incrível. Lembrei muito da minha avó, de como as pessoas mais velhas são importantíssimas em nossas vidas. Da maneira como elas olham o mundo e como se fazem tão necessárias para nós. Fui lendo e me sentindo mais feliz. Porque ia tendo a minha avó Elza mais perto de mim. Para quem não sabe, perdi a minha avó há sete meses. E por isso compreendi todos os pensamentos de Barry, toda a sua dor, saudade, mas ao mesmo tempo a alegria por ter tido uma pessoa tão importante na sua vida. E por ter dado a ela todo o amor que eu tinha (e no livro, todo o amor que Barry tinha por Edith). Intercalei o livro dando sorrisos quando Edith era brigona, e lágrimas quando ela era apenas sensível ao tempo.Ela vai contando suas histórias, de como virou uma espiã pela Inglaterra, de como foi parar na Alemanha Nazista e acabou conhecendo Hitler; e de como criou um orfanato, para depois acabar  sozinha em Seattle.

Esse livro eu indico para todas as pessoas. É uma história mágica, que nos faz refletir sobre o cuidado um com o outro, a atenção, respeito e amizade. Vale muito a pena. Desde já, desejo uma boa leitura!

Lorena Moura-Jornalista

lorenamoura87@gmail.com

Você também vai gostar:

Um clássico moderno e inesquecível
O passo a passo para aprender a meditar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>